Pão integral de cebola

Em viagens aos EUA sempre comemos onion bagels ou onion bread. Aqui em Porto Alegre, há muito tempo atrás uma marca conhecida vendia pão de cebola no supermercado. Era ótimo para fazer sanduíches, pois fugia da mesmice dos pães brancos ou integrais – dava um gostinho diferente. Até nos espantávamos em ver que se mantinha, mas foi só falar que nunca mais vimos o pão de cebola.

Então há uns dois anos compramos uma máquina de fazer pão e resolvemos reviver os sanduíches com pão de cebola. De vez em quando fazíamos uma receita, mas acabávamos enjoando de ter que comer por vários dias. Pão de cebola no café da manhã não é a melhor opção.

Para solucionar isso, deixamos a preguiça de lado (em termos, pois continuamos a usar a máquina), mas dividimos a massa e a colocamos em  formas para assar no forno, o que nos dá dois pães perfeitos que rendem alguns sanduíches cada (geralmente consumimos um logo e congelamos o outro).

Bem, vamos à receita então.

Pão integral de cebola
 
Autor:
Tipo: Pães
Ingredientes
  • 1 xícara de água
  • 2 xícaras de farinha de trigo integral
  • 1 xícara de farinha de trigo
  • 2 colheres de sopa de cebola desidratada
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 1 colher de chá de fermento biológico seco
Preparo
  1. Colocar os ingredientes na máquina de fazer pão na ordem acima. Dependendo da vontade/disposição/preguiça: deixar que a máquina faça tudo, programando de acordo com as instruções do fabricante, ou deixando apenas que a massa seja misturada e cresça na máquina para depois colocar em formas, deixar que dobre de volume e assar no forno.
Obs.:
Essa receita dá para duas formas de pão tamanho normal. Depois de colocar a massa nas formas, as colocamos no forno (desligado) até que dobre de volume, então assamos a 180º por 40 minutos. Sem máquina de fazer pão e com bastante disposição? É só usar os mesmos ingredientes e botar a mão na massa, sovando-a por uns 10 minutos, depois deixar crescer até dobrar de volume, colocar nas formas, deixar crescer novamente e assar.

Uma delícia! Combina bem com um sanduíche de uma carne mais forte, como um pastrami, ou um queijo de sabor mais pronunciado. Mas um simples sanduíche de presunto e queijo já ganha um toque especial.

E o melhor de tudo, nada de bafo!

Comentários

Deixe uma resposta